domingo, 7 de junho de 2009

To boldly go where no Man has gone before... 1

Assim pode-se definir melhor a mais grandiosa série televisiva de todos os tempos. Você pode até não gostar, muito menos concordar, mas não pode negar que Jornada nas Estrelas é um marco para a televisão e a ficção científica em geral.

Aproveitando o ensejo de um novo filme e um reset na fraquia, e audaciosamente indo onde nenhum Homem jamais esteve, me deparei com uma grandiosa missão: Ver todos os filmes da série na sequência, um seguido do outro.

Tá. Eu sei. A coisa não é tão inédita assim. Na verdade deve ser mais comum que corinthiano saindo do bueiro. Mas que o negócio é grandioso, é.

São 10 filmes, 10 histórias, 10 missões, 10 enredos, e o primeiro passo foi conseguir todos eles. Consegui com um professor lá do Olival. Fiz as cópias, e à medida que for encontrando os filmes originais num preço bom, vou comprando para a coleção. Ei, então, minhas impressões, com spoilers.

Jornada nas Estrelas - O Filme (Star Trek - The Motion Picture) 1979
Após um lapso de 5 anos longe da cadeira de comando, o agora Almirante Kirk força a barra para comandar a Enterprise novamente. O Capitão Decker, mesmo contrariado, nada pode fazer a não ser colocar o rabo entre as pernas e ser o Primeiro em Comando. Não tenho certeza, mas creio ser ele o primeiro "número 1", como diria o Capitão Picard, da Frota, pelo menos o primeiro a ser assim oficialmente nomeado. Tudo bem, já que eles estão indo de encontro a uma nave desconhecida, potencialmente letal. O desacostumado Almirante e sua tripulação acabam descobrindo que a tal nave nada mais é que uma das sondas Voyager enviadas ao espaço no longínquo século XX, que modificada e melhorada por alienígenas prossegue em sua busca de conhecimento, chegando a desenvolver consciência. Agora tudo o que ela quer é se unir ao Criador. Pena que ela não sabe que o Criador é nada menos que a singela e fútil forma de vida que está quase por destruir. Para salvar a humanidade, Capitão Decker e a Tenente Ilia acabam por se unir à máquina, tornando-se um só e 'evoluídos'. Realmente o primeiro Primeiro em Comando teve uma passagem realmente breve pela função. Filme bom, mas parado demais. Se você não curte tanto a série, tome um café com guaraná antes de vê-lo.

Jornada nas Estrelas II - A Ira de Khan (Star Trek - The Wrath of Khan) 1982
Ótimo filme, grande enredo. Nimoy não queria mais ser o Spock, então resolveram matá-lo. O que poderia enterrar a franquia 45 passos abaixo de solo asfáltico, surpreendentemente traz de volta o ânimo de Nimoy, e junto a grandiosidade da antiga série. Aliás, trouxe uma porção de coisas. Trouxe o vilão Khan de volta, e junto a melhor interpretação de vilão do cinema até o novo Coringa. As leituras de Ledger e Montalban para seus personagens ficam ali, no páreo. Ah sim, o personagem de Ricardo Montalban de 1967 reaparece, e quer vingança por ter sido deixado num planetinha qualquer do universo. No intervalo entre o exílio forçado e o encontro fortuito com Checov, o planeta onde estava sofreu uma mudança de órbita, sua amada morreu, e ele adquiriu uns bichinhos muito dos sem-vergonhas para criar. Simplesmente coloca dois deles na orelha de Checov e seu superior, e dominam suas vontades. Capturam a nave e de quebra as informações sobre o projeto Genesis, capaz de criar vida a partir de condições inóspitas. E adivinha quem são os responsáveis por esse projeto? Ninguém menos que um antigo affair de Kirk, e o filho fruto da relação. Pronto, o circo está armado: uma arma em potencial, um antigo inimigo e um filho desconhecido. Só podia dar no que deu, um vilão derrotado, um vulcano morto e um novo planeta na galaxia. Esse não precisa de café. E descobrimos que Shatner nem é tão canastrão assim ^^

3 comentários:

Rob Seixas disse...

Finalmente uma postagem, XD!

Você sabe que nunca assisti Star Trek, simplesmente porque nunca me chamou a atenção; nem a série de tv, nem os filmes. No entanto, reconheço a importância dos filmes da série para o cinema, e certamente irei assistir algum dia. Mesmo porque, pega mal para um cinéfilo de primeira como eu nunca ter assistido a um projeto bastante popular em todo o mundo, hehehe... Abraços!

J.Estel Carvalho disse...

ah, um dia me aventura nessa jornada para assistir e entender a Jornada! hehehe

Inkling disse...

Um dos meus traumas de infância/adolescência é que ninguém mais em casa queria assistir Jornada nas Estrelas, e eu tinha que mendingar/brigar/chatagear pra conseguir assistir um ou outro episódio...
Amo o Spock, Sulo, Kirk, MacCoy, Checov, o engenheiro que não lembro o nome agora... toda a turma e todas as histórias, por mais tosco que nos pareçam alguns "defeitos" especiais da época..