terça-feira, 30 de setembro de 2008

Himawari!

Estou vendo, já há algum tempo, um anime chamado Himawari!. Não saberia classificar esse anime, mas com certeza não é do tipo que eu já tivesse assistido antes.

Image Hosted by ImageShack.us


Conta a história de uma aprendiz de kunoishi (ninja mulher) chamada Himawari, em sua missão autoimposta de proteger seu mestre. Ela é a atrapalhação em pessoa, e o suposto "mestre" é Hayato, um professor falido que vai para a escola de ninjas para lecionar conteúdos gerais não relacionados a esse assunto. Desnecessário dizer que esse relacionamento só causa bagunça, e gera momentos descontraídos de pura risada para quem assiste.

O interessante é que não é uma 'história' propriamente dita, no sentido de acontecimentos cronológicos encadeados. Realmente há uma seqüência cronológica, mas não há encadeamento de episódios, um episódio não necessita do que ocorreu no anterior para prosseguir. Outra característica desse anime é de não estar hitoricamente ambientado. Sabemos que é o Japão, porque Hayato possui uma dívida de 2 milhões de ienes, e sabemos que deve ser mais ou menos atual porque ele calça tênis cano alto muito parecidos com alguns que praticantes de basquete usam e há algumas aparelhagens modernas, como tv e aquecimento central de água, com regulagem térmica sofisticada. Mas como isso tudo não importa para o andamento da história, fica somente nisso, pois o restante remete a uma suposta cultura ninja, e isso quer dizer alguma antiguidade.

Mas enfim, se você está procurando um anime cabeça, cheio de ideologias e problemáticas, fique longe de Himawari!. Mas se você quer apenas se distrair dos problemas mundanos com algumas risadas gratuitas, até que serve.

Agora só falta achar a segunda temporada: Himawari!!

ps. a imagem promocional é da segunda temporada, que parece ser mais sombria que a primeira..

Um comentário:

Robson disse...

Bom, olha eu aqui mais uma vez...
Sabes tu, grande amigo, que nada entendo eu de anime. Todavia, entretanto, contudo, bla bla bla, estou aprendendo gostar de tudo... Às vezes é bom nos anestesiarmos da melancólica realidade, da literatura de Sartre, e dos filmes de Bergman, para dar boas risadas. Vou experimentar. Ainda mais por que sinto os olhos pulando, e já sonhei com a rapariga dos óculos escuros. Droga, você com esse Saramago está me agoniando! Mas, ok.Abraços.

Robson

P.S. Me ajuda depois com meu blog!!!! To cafundindo tudo.